Blog

Notícias

Conheça o BioMol, fertilizante para aplicação foliar

14/05/2020

Aplicação do Biomol resulta em melhor aproveitamento do nutriente e efeito no metabolismo vegetal

Embalagem do produto Biomol da Microquimica Tradecorp

O BioMol é um fertilizante para aplicação foliar, apresentado na forma de suspensão, contendo o nutriente Molibdênio solúvel em água, associado a aminoácidos obtidos através de fermentação biológica.

O produto participa do metabolismo do Nitrogênio, promovendo sua maior assimilação e transporte (drenos), em função do efeito sinérgico do Molibdênio e dos aminoácidos contidos no produto. Adicionalmente, alguns aminoácidos contidos são precursores de outros, que são produzidos através da transaminação, resultando em significativa economia de energia (ATP) para as plantas.

Quais os resultados do BioMol?

Foram feitos 10 ensaios agronômicos realizados com o BioMol na soja, nos estados do RS, SC, PR, MS, MT e SP. O incremento médio de produtividade nestes trabalhos foi de 6,3 sc/há com relação a testemunha, sem a aplicação foliar do produto.

Além da produtividade, observou-se também aumento do sistema radicular e redução da distância entre nós, com plantas mais compactas.

O que é o BioMol?


É um fertilizante especial para aplicação foliar, que alia o nutriente Molibdênio com aminoácidos provenientes da fermentação biológica do melaço de cana. Esta combinação sinérgica resulta em melhor aproveitamento do nutriente e efeito no metabolismo vegetal.

Como ele foi desenvolvido?


Ele foi desenvolvido ao notar que muitas áreas apresentavam deficiência de Mo e consequentemente de N. Também foram constatados os efeitos positivos dos aminoácidos nas culturas de grãos. No entanto havia resistência a utilização de muitos produtos no manejo das culturas. De forma que, a Microquimica Tradecorp buscou o melhor da nutrição e da bioativação, facilitando a adoção pelos agricultores.

Quais é o diferencial do produto?


O BioMol é uma fonte de Mo de alta disponibilidade, combinada com um composto orgânico, em uma formulação balanceada e estável. Para isso, utilizamos agentes quelantes e aditivos de formulação, que propiciam a rápida absorção e resposta das plantas.

Por que aplicar o produto?


Estudando quase 1.000 análises de folhas de soja da região Sul, foi identificado mais de 50% de deficiências graves de Mo, com níveis abaixo de 0,5 mg/kg, que certamente estão limitando a produtividade. Também já verificamos altos níveis de deficiência de N em lavouras de soja de todo o país.

Além disso, grande parte do Mo é exportado nos grãos, por exemplo, para uma produtividade de 70 sc/há, temos a exportação de 21 g de Mo, que demandam reposição em todas as safras, através das aplicações de fertilizantes.

Como tanto o Mo, quanto o acido L-glutâmico estão diretamente relacionados ao metabolismo do nitrogênio e a formação de proteínas, que é o objetivo maior da produção de soja, a aplicação do BioMol se justifica por estes motivos e seus resultados são expressivos no desenvolvimento e na colheita.

Qual é a posicionamento do BioMol?


O posicionamento é semelhante nas culturas de soja e feijão, com 1 a 2 aplicações no ciclo, iniciando na 1ª de herbicidas, até a 1ª dos fungicidas, com doses entre 250 e 500 ml/há por pulverização.

Já no milho, é indicada a aplicação junto a adubação nitrogenada de cobertura, numa dose de cerca de 200 ml/há.
Sempre é importante ajustar doses e épocas, em função do manejo e potencial produtivo das áreas, visando obter resultado na nutrição de Mo e no estímulo ao crescimento vegetativo.

Como ele atua no metabolismo das plantas?


O Molibdênio é fundamental na Fixação Biológica do Nitrogênio e na assimilação do Nitrogênio. Também o ácido L-glutâmico desempenha um papel importante no metabolismo do N e no seu transporte na planta.

Além disso, atua no metabolismo oxidativo, reduzindo níveis de compostos danosos às células e aumento níveis de anti-oxidantes.

Quais os efeitos do BioMol na cultura da soja?


O BioMol apresenta vários efeitos benéficos na soja. Um deles é reduzir a fitoxicidade causada pela aplicação de glifosato e outros herbicidas, que causam amarelecimento e “travamento” das plantas. Também não prejudica o controle das plantas daninhas, algo que ocorre com outros micronutrientes.

Além disso, com uso de doses mais elevadas nas primeiras aplicações, ele auxilia no desenvolvimento de plantas mais compactas, com menor distância entre nós, ajudando no manejo da lavoura.

Portanto, é um produto nutricional e fisiológico, que fornece o Mo que está em falta nas lavouras, combinado com o composto biológico/orgânico, que auxilia as plantas a tolerar mais os estresses, melhorar a arquitetura e aproveitar melhor o nitrigênio, gerando mais proteínas, que resultam em ganhos de produtividade.

Deixe seu comentário ou dúvida!

VEJA TAMBÉM